Pownce pwnz

July 29, 2007

Ontem checando meus emails, vi que chegou finalmente meu invite code do Pownceque é mais um site da web 2.0 que visa criar toda uma comunidade de amigos e trocar diversos tipos de informação, seja uma nota, um link, arquivos (10mb free account/100mb pro account), e etc. Achei bem interessante o site, além de bonito, leve e bem feito. Um dos criadores é o já conhecido (pelo menos pra mim) Kevin Rose, que também é um dos criadores do Digg e também apresenta o videocast Diggnation juntamente com o Alex Albrecht, onde falam sobre as notícias mais “diggadas” da semana. Enfim, se você quiser ver um sapo galvanizado sendo usado como webserver, ou aprender a fazer um Cthulhu em origami, acesse meu profile no Pownce: Bruno C. Quem quiser entrar, tenho ainda 5 invites, mas somente me peça se você REALMENTE quiser e for usar.

Férias na roça

July 12, 2007

Minhas férias estão mórbidas e chatas como sempre, o bom é que segundo o Gastaum, posso tornar isso produtivo aprendendo a ser um designer hype modafoka. Por essas e outras to pegando os tutoriais fantabulosos do Lynda e vendo se aprendo algo. Do resto, ando lendo, comendo pastel, tomando heineken quando possível e vagabundeando 24/7.

Tem dias em que eu nem ligo se vou viver ou morrer, quero apenas o que todos querem, nem a mais nem a menos, acho que é por causa disso que nada me afeta, eu sou meio desprendido emocionalmente, eu não tenho as reações padronizadas que qualquer pessoa normal teria, na verdade, eu sou bem o oposto disso. Geralmente, o que eu faço é aplicar a máscara das mil faces, todos os dias. eu sei que isso não deveria ser dito, mas como eu disse, sou o contrário da maioria.

Certa vez, uma amiga ao ver a edícula na qual eu passo a maior parte do tempo, disse: “Bruno, você se parece com o Fox Moulder! Olha só isso! Você é tido como ‘estranho’ por pessoas do seu convívio, gosta de coisas estranhas (N.E. Coisas estranhas para pessoas do interior, uma vez que eu leio/assisto/ouço uma grande quantidade de filmes, seriados, programas, livros, bandas e etc.) e você tem até um ‘X’ na janela igual o dele! E também, olha isso! É muito cenário de filme de serial-killer! Camas, cadeiras, tudo escuro, coisas que ninguém mais dá valor e um computador. (Nota: Onde eu fico, tinha um carpete, que eu tirei porque sou alérgico, então, o contra piso é todo manchado com restos de cola do carpete e demais produtos que devem ter caído ao longo dos anos. Também tem uma cadeira de balanço que era da minha avó, duas camas, sendo uma de solteiro e outra de casal, igualmente desmontadas, uma cadeira, um aspirador de pó, inúmeros discos de vinil, que vão de Chico Buarque à Pink Floyd, um ventilador velho, uma vitrola velha na qual está ligado o som do meu computador, um mancebo, pilhas e pilas de jornais encadernados (meu avô encadernava a Folha de São Paulo), duas máquinas de escrever que estão em pleno estado de conservação e ainda funcionam, e um espelho de dois metros de altura, além da mesa do computador, o computador e a cadeira na qual estou sentado agora)”.

Isso na época foi engraçado, mas hoje eu vejo que tem lá alguma razão pra tal observação ter sido feita. Realmente se parece com um “esconderijo” de algum serial-killer, ou a sala do Fox Moulder (que pra quem não sabe, era uma sala onde ficava os arquivos de coisas estranhas e bizarras, esquecidas e etc.), ou o estúdio do fotógrafo do filme “A Profecia”.

Dexter

June 25, 2007

Fiquei sabendo hoje de um seriado chamado Dexter. Dexter é um especialista forense em padrões de espalhamento de sangue que trabalha para o Departamento de Polícia de Miami. Ele é também um serial-killer, que mata pessoas que a polícia não consegue prender. Ele precisa esconder sua vida dupla de sua irmã, de sua namorada e de seus colegas de trabalho.

Orphaned at the age of three and harboring a traumatic secret, Dexter (Michael C. Hall) was adopted by a Miami police officer who recognized his homicidal tendencies and taught him to channel his gruesome passion for human dissection in a “constructive” way — by killing only heinous criminals (such as child molesters, mob assassins, and serial killers of the innocent) who have slipped through the justice system. To satisfy his interest in blood and to facilitate his own crimes, Dexter works as a blood spatter analyst for the Miami police.

Obs. Estou no terceiro episódio da série, e estou achando fenomenal.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.